A minha experiência do curso de formação CSM

2 minute read

ScrumMaster Logo Seal

Antes de partilhar a minha experiência, quero partilhar os motivos que me levaram a fazer este curso de formação.

Após ler o livro Scrum and XP from the Trenches (Henrik Kniberg) houve alguns tópicos que não me ficaram claros. A partir desta altura apercebi-me que esta área me fascinava e quis investigar mais, foi nessa altura que comprei mais alguns livros (1) e que soube que iria haver uma formação em Lisboa.

Não pensei duas vezes em inscrever-me, era a oportunidade ideal de aprofundar os meus conhecimentos e poder esclarecer todas as minhas dúvidas com o Mitch Lacey, que tem 15 anos de experiência nesta área.

A experiência

O local onde decorreu o curso era muito agradável (Espaço Restelo em Lisboa), rodeado de natureza o que dava um ambiente relaxante e descontraído. O Mitch fez todo o curso usando Scrum, em que cada tema era uma User Story, à medida que os temas eram dados ia atualizando o Burndown Chart.

No final da manhã e da tarde fazia a Revisão do Sprint e a Retrospectiva do Sprint, foi fantástico ver que Scrum não se aplica apenas ao desenvolvimento de software e que efectivamente se consegue aplicar a diversas áreas.

A forma como o Mitch deu o curso foi fantástica, sempre de forma descontraída e divertida, usou casos práticos, partilhou as suas experiências, fez exercícios práticos e jogos que ajudaram a perceber todo o processo da framework Scrum e todos os seus papéis, artefactos e reuniões.

Do meu ponto de vista, as experiências partilhadas pelo Mitch fizeram toda a diferença e foram bastante importantes. Estas experiências são efectivamente o que fazem a diferença em participar num curso de formação e ler um livro.

Os jogos e exercícios práticos que fizemos foi uma forma eficaz de aprender e nos apercebermos de o que é ser Ágil, qual o papel do ScrumMaster, quais os problemas de ser Multi-tarefas, e a importância da comunicação, da transparência e do trabalho em equipa.

Foram dois dias fantásticos, onde houve trocas de experiências e bastante networking. A meu ver só peca por ser dois dias, julgo que três dias seria o ideal para se poder aprofundar alguns temas que se falaram superficialmente.

O Exame

Este foi feito online, ao qual era composto por 35 perguntas que abrangia todos os tópicos do Scrum. Não achei o exame difícil, isto porque para além do curso ajudar bastante já tinha algum background sobre Scrum derivado aos livros que já tinha lido.

Tenho a plena convicção que este exame é mais díficil para pessoas que estão habituadas à gestão de projectos tradicionais e que já tem largos anos de experiência com elas.

(1) livros que adquiri e que recomendo:

Leave a Comment